top of page
Hamilton, Schummy, Fangio e Senna.jpg

QUEM É O MELHOR DE TODOS?

​Sempre deixo claro que achar esse ou aquele piloto o MELHOR depende do gosto pessoal de cada um. Normalmente quem é fanático por um piloto usa argumentação distorcida e apaixonada para defender seu preferido, se esquecendo de toda a estrutura por trás do piloto para fazê-lo chegar ao sucesso.

Qualquer fã de automobilismo deve entender que não existe milagreiro nesse esporte. Todos (absolutamente todos!) os pilotos dependem de ter um CARRO razoavelmente bom para ter condições de disputar títulos. Nessa lógica, o sucesso depende de estar na EQUIPE certa, por maior período de tempo possível. E isso não depende do talento... e sim da SORTE.

IMPORTÂNCIA DO CARRO E DA EQUIPE

O trabalho de concepção do CARRO começa cerca de um ano antes, com a participação de centenas de profissionais no projeto das partes: motor, câmbio, suspensão, chassi, aerodinâmica e sistemas eletrônicos, passando ainda pelo CFD (Computational Fluid Dynamics) e pelo Túnel de Vento.

Depois de pronto, o CARRO passa por simulações virtuais na fábrica, com base nas informações previamente coletadas nas pistas da temporada. Depois disso começa o trabalho da Equipe Técnica para desenvolver o CARRO diretamente na pista, juntos com os pilotos, para identificar problemas que não foram percebidos no túnel de vento e nos simuladores. Por esse motivo o piloto depende muito do CARRO e da EQUIPE, principalmente com o avanço da tecnologia nos dias de hoje.

IMPORTÂNCIA DOS ADVERSÁRIOS

ADVERSÁRIOS fazem muita diferença na carreira de qualquer piloto. Se um grande piloto estiver disputado títulos contra adversários tecnicamente menos qualificados que o normal, o talento desse grande piloto será superdimensionado. A história da F1 nos mostra que sempre que um grande piloto disputou contra pilotos menos talentosos, praticamente não houve competição e o piloto ganhou com várias corridas de antecedência. Ou seja foi um massacre!

A célebre frase de Albert Einstein se enquadra perfeitamente no automobilismo, trocando algumas palavras: "O verdadeiro talento de um piloto depende do referencial dos seus adversários."

NÚMEROS ABSOLUTOS NEM SEMPRE SÃO JUSTOS

É muito difícil comparar os números absolutos dos pilotos que correram com carros, adversários, companheiros, em regulamentos e temporadas diferentes.

É justo comparar Prost, que teve três campeões do mundo como companheiros de equipe (Lauda, Rosberg e Senna) em igualdade de tratamento, com Schumacher que sempre foi primeiro piloto das suas equipes e JAMAIS teve um campeão do mundo dentro das suas equipes, com exceção de 5 corridas de 1991 ?

Claro que não.

REGULAMENTOS DIFERENTES

Outro fator que dificulta as comparações, são as épocas e regulamentos diferentes. Seguem alguns exemplos:

​Senna foi o piloto mais rápido da história da F1 nos qualifyings, mas de vez em quando sofria um acidente forte e a célula de segurança o salvava. Será que ele se daria bem nos anos 50, 60 e 70, quando não existia célula de segurança?

Hamilton hoje é o maior piloto nos números da F1, será que ele se daria bem nos anos 70/80, onde o piloto tinha que necessariamente trabalhar o acerto e desenvolver os carros?

Schumacher foi um dos pilotos mais rápidos da F1, mas na sua época áurea era possível usar jogos de pneus, motores, combustível e reabastecimentos ilimitados. Será que ele se daria bem nos anos 70/80, época que o piloto tinha que poupar equipamento e combustível?

Fangio foi de longe o melhor piloto dos anos 50, será que ele se daria bem nos simuladores da F1 atual?

Sabemos que os grandes pilotos se adaptam às dificuldades, mas não podemos responder com certeza às perguntas acima.

A F1 dos anos 2020 é muito mais tecnológica que a F1 do passado. O piloto tem que estudar a telemetria, saber mexer nas dezenas de funções do volante e testar em simuladores, daí a dificuldade de comparar com os pilotos do passado com os da atualidade. 

SORTE DE TER O EQUIPAMENTO VENCEDOR

Outro fator importantíssimo: o sucesso do piloto depende de ter CARRO VENCEDOR, por maior período de tempo possível e convenhamos que nada disso (absolutamente nada!) depende do talento do piloto, e sim do FATOR SORTE.

Vejamos o exemplo do Phill Hill, que era 4o piloto da Ferrari nos anos 50 e 60, mas foi beneficiado pela morte de quatro pilotos da equipe italiana (Musso e Collins em 58, Behra em 59 e Von Trips em 61) num período de três anos e ele acabou sendo campeão do mundo na Ferrari em 1961.

Outro exemplo é do Damon Hill, que não foi bem nas categorias de base, mas teve chance de ouro de pilotar a Williams na fase boa (1993 a 1996) e foi campeão em 1996 tendo um "calouro" como companheiro de equipe (Villeneuve). Muitos pilotos mais talentosos que Hill jamais tiveram essa chance na carreira.

Então para sermos justos com os pilotos talentosos da F1, teremos que fazer uma LISTA COM OS MELHORES, e a escolha do MELHOR fica por conta do critério pessoal de cada um.

PROST, HAMILTON E SCHUMACHER

​​​Teremos que iniciar a lista com três dos maiores campeões da F1, com NÚMEROS ABSOLUTOS INCRÍVEIS, três gênios, que derrotaram quase todos os companheiros de equipe, mas os três correram em grande parte da carreira em carros bastante competitivos. Devemos ressaltar que Alain Prost derrotou três campeões mundiais na equipe (Lauda em 85, Rosberg em 86 e Senna em 89) e é o único piloto na história da F1 a fazer isso.

STEWART, PIQUET E FITTIPALDI

Teremos que incluir esses três excepcionais pilotos pelo que fizeram em suas épocas com suas capacidades de desenvolver e acertar carros, derrotando quase todos os seus respectivos companheiros de equipe. Foram pilotos que sabiam TRABALHAR MAIS O CARRO numa época com pouquíssima (ou nenhuma) telemetria.

FANGIO, SENNA E CLARK

Nessa lista devem entrar três pilotos considerados "pontos fora da curva". Na minha modesta opinião, eles estão acima até dos gênios citados acima e fizeram as atuações mais ASSOMBROSAS DA CATEGORIA (como Espanha 51 e Alemanha 57- FANGIO, Inglaterra 65 e EUA 67-CLARK, Portugal 85, Japão 88, Europa e Austrália 93-SENNA), levando em conta condições de equipamento, adversários e companheiros de equipe.

VERSTAPPEN

Eu coloco Max Verstappen nessa lista pelas fantásticas atuações que teve em 2020, 2021, 2022, 2023 e 2024, com estilo arrojado, agressivo e muita velocidade, sendo que em 2021 ele se sagrou campeão mundial derrotando o maior campeão da F1, Lewis Hamilton, numa Mercedes razoavelmente equilibrada com a Red Bull ao longo do ano.

Foi um título conquistado no erro grosseiro de Michael Masi no final do GP Abu Dhabi 2021, sem dúvida. Mas durante a temporada Verstappen fez um duelo de igual para igual com o maior campeão da história da F1, isso mostra que ele é gênio e por isso merece estar na lista.

POR QUE BRABHAM, LAUDA E VETTEL NÃO ESTÃO NO TOP 10?

Jack Brabham era um excelente piloto, um dos mais completos da história e o único da história campeão no carro construído por ele, mas foi derrotado em 9 temporadas pelos companheiros de equipe (Moss em 58, McLaren em 61, Clark em 62, Gurney em 63, 64 e 65, Hulme 67, Rindt 68 e Ickx em 69), por esse motivo ele não está no TOP 10.

Niki Lauda foi um exemplo de perseverança e de ser humano, ganhou 2 títulos depois do gravíssimo acidente de Nurburgring 76 e com certeza era um fora-de-série. Mas foi derrotado em 6 temporadas por 4 companheiros de equipe (Peterson em 72, Regazzoni em 73 e 74, Watson em 82 e 83 e Prost em 85), por isso não está no TOP 10.

Sebastian Vettel é um excelente piloto, mas foi derrotado por Ricciardo (2014) e Leclerc (2019 e 2020), dois calouros em suas equipes em 3 temporadas, e ainda teve dificuldades com o Stroll (2021 e 2022), por esse motivo também não está no TOP 10.

Lembrando que essa lista dos melhores é dinâmica, a qualquer momento outros pilotos poderão entrar nela, se merecerem.

Em junho de 2023 o CANAL do Youtube FORMULA BRUMNH fez uma live muito interessante sobre o MELHOR PILOTO de todos os tempos, discorrendo sobre os critérios e fatores que abordam esse assunto. Vale a pena assistir.

 

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=_J30NxfcZ7k

bottom of page