top of page

POTÊNCIA DOS MOTORES F1 (1950-2024)

 

Existe uma infinidade de sites (alguns nem existem mais), livros e anuários informando potências diferentes para os mesmos motores, quase sempre motor de treino tem potência diferente do motor de corrida, e como as equipes de F1 adoram confundir a concorrência, eu tentei colocar os valores mais factíveis com a realidade das suas épocas. 

 

É importante ressaltar que o melhor motor não necessariamente é o mais potente, pois às vezes o mais potente não é confiável ou é mais pesado ou consome mais gasolina ou gera mais calor, e tudo isso prejudica a performance do carro. O MELHOR MOTOR é aquele que tem o compromisso entre potência, durabilidade, baixo consumo e menor peso. 

Anos 50:

 

F1 1950 (motores 4.500cc ou 1.500cc comprimidos):

Alfa Romeo 8L 1.500cc comprimido 370 HP a 8.500 RPM

Ferrari V12 4.500 cc aspirado 350 HP (Monza)/ 300 HP a 7.000 RPM

 

F1 1951:

BRM V16 1.500cc comprimido 600 HP a 12.000 RPM (motor 16 cilindros em V)

Alfa Romeo 8L 1.500cc comprimido 425 HP a 9.600 RPM

Ferrari V12 4.500 cc aspirado 350 HP (no site oficial consta 2.500cc com 200 HP, muito provavelmente foi um erro.)

 

F1 1952 (Motores passaram a ser 2.000cc ou 500 cc comprimidos):

Ferrari 4L 2.000 cc (com o regulamento de F2) 185 HP a 7.500 RPM

Maserati 6L 180 HP a 7.300 RPM

Gordini 6L 155 HP a 6.000 RPM

 

F1 1953:

Maserati 6L 190 HP a 7.500 RPM

Ferrari 4L 2.000 cc (com regulamento de F2) 180 HP a 7.200 RPM

Gordini 6L 160 HP a 7.000 RPM

 

F1 1954 (Pelo regulamento motores passaram ser de 2.500cc ou 750cc comprimidos):

Mercedes V8 290HP/257 HP a 8.500/8.200 RPM (com injeção direta sem usar eletrônica)

Ferrari 4L 2.500 cc 260 HP a 7.200 RPM

Lancia V8 250 HP a 8.100 RPM

Maserati 6L 240 HP a 6.800 RPM

 

F1 1955:

Mercedes 8L 290 HP a 8.500 RPM

Lancia V8 285 HP/265 HP a 8.500 RPM

Ferrari 4L 2.500 cc 260 HP a 7.200 RPM

Maserati 8L 260 HP a 7.700 RPM

 

F1 1956:

Ferrari 4L 2.500 cc 265 HP a 8.000 RPM

BRM 4L 260 HP a 8.000 RPM

Maserati 2.500cc 240 HP a 7.200 RPM (670 kg)

 

F1 1957:

Maserati V12 320/310 HP a 9.500/9.300 RPM (Modelo 250F T2 para a última corrida do ano, usava injeção, pesava 650 kg. Esse foi o motor 2.500 cc mais potente dos anos 50. Mas não ganhou essa corrida, provavelmente pelo peso excessivo).

Vanwall 285 HP a 7.300 RPM

BRM 4 cilindros 280 HP a 8.800 RPM

Ferrari 4L 2.500 cc 275 HP a 8.400 RPM

Maserati 6L 270 HP a 8.000 RPM (Modelo 250F T2- Lightweight pesava 630 kg, mais leve ganhou 4 corridas)

 

F1 1958:

Ferrari 4L 2.500 cc 280 HP a 8.500 RPM

BRM 4 cilindros 280 HP a 8.800 RPM

Maserati 6L 270 HP a 8.000 RPM

Climax 4L 194 HP a 6.750 RPM (Lotus 12)

 

F1 1959:

Ferrari 4L 2.500 cc 295 HP a 8.600 RPM (pesava 560 kg)

BRM 4L 285 HP a 8.800 RPM

Clímax 4L 220 HP a 6.750 RPM (Cooper e Lotus 16)

Anos 60:

F1 1960:

Ferrari 4L 2.500 cc 280 HP/263 HP a 8.500 RPM/8.300 RPM

Clímax 4L 240 HP a 6.800 RPM (Cooper e Lotus 18)

 

F1 1961 (motores passaram a ser 1.500 cc):

Ferrari V6 1.500 cc 190 HP a 9.500 RPM

Climax V8 187 HP a 8.500 RPM (Cooper Alemanha em diante)

Clímax 4L 155 HP a 7.500 RPM (Cooper, Lótus 21 e BRM)

Porsche 175 HP/165 HP a 9.000 RPM/8.500 RPM

 

F1 1962:

Ferrari V6 1.500 cc 197 HP a 10.000 RPM (não consta informação no site oficial)

BRM V8 1.500 cc 190HP a 11.000 RPM (BRM e Lotus 24 no final do ano)

Clímax V8 1.500 cc 187 HP a 8.500 RPM (Lotus 18 e 21)

Porsche 8 cilindros boxer 165 HP a 8.500 RPM

 

F1 1963 (4 motores adotaram injeção na alimentação):

Ferrari V6 1.500 cc 205 HP a 10.500 RPM

BRM V8 200 HP a 10.500 RPM

Clímax V8 198 HP (Monza em diante) /195 HP a 9.500 RPM (Lotus 25)

Porsche 165 HP a 8.500 RPM 8 cilindros boxer

 

F1 1964:

Honda V12 220 HP a 11.000 RPM (com 4 válvulas por cilindro, com 12 carburadores!!)

Ferrari 12 boxer com 220 HP a 12.000 RPM (com injeção indireta)

Ferrari V8 210 HP a 11.000 RPM (com injeção direta) Dois comandos de válvula, cabeçote de liga leve e taxa de compressão 9,8:1. Mesmo com 10 HP a menos, no desempenho geral, esse motor era melhor que o V12. (estreou a partir do GP EUA).

BRM V8 205 HP a 10.500 RPM

Conventry-Clímax V8 203 HP a 9.800 RPM (Lotus 25 e 33)

Porsche 165 HP a 8.500 RPM 8 cilindros boxer

 

F1 1965:

Honda V12 230 HP/220 HP a 12.000 RPM (usava injeção direta- Livro F1 Moderna pag 99)

Ferrari 12 boxer com 220 HP a 12.000 RPM (não consta essa informação no site oficial)

BRM V8 220 HP a 11.500 RPM

Conventry-Climax V8 213 HP a 10.500 RPM (115 kg) (Lotus 33)

OBS: Clark tinha prioridade e corria com motor Climax com 4 válvulas por cilindro, enquanto os outros pilotos corriam com motor com 2 válvulas por cilindro (Fonte Revista Auto Esporte de setembro de 1965).

 

F1 1966 (Motores passaram a ser 3.000 cc ou 1.500 cc compressor):

BRM H16 400 HP a 11.500 RPM peso 190 kg (BRM 695 kg e Lotus 43 de Clark pesava +- 700 kg)

OBS: Usava 8 eixos de comando, 16 carburadores, 64 válvulas, 2 bombas d'água e usava o dobro de óleo de um V12.

Honda V12 48 válvulas com injeção 400 HP a 11.000 RPM (estreou em Monza, mas o carro pesava 705 kg)

Honda V12 390 a 360 HP a 10.000 RPM (antes de Monza)

Weslake V12 364 HP a 9.750 RPM (Motor pesava 165 kg e carro Eagle pesava 598 Kg, estreou em Monza)

Ferrari V12 com 360 HP a 10.000 RPM (novo motor no final do ano, carro pesava 604 kg)

Ford V8 350 HP (McLaren) (Ainda não tinha a parceria com a Cosworth)

Maserati V12 340 HP a 9.500 RPM (Cooper pesava 618 kg)

Repco V8 3.0 320 HP/ 315 HP a 7.250/7.100 RPM (carro pesava 530 kg- Jack Brabham)

Ferrari V6 249 HP a 8.500 RPM

Climax V8 2.0 240 HP a 8.700 RPM (Lotus 33 do Clark)

Climax V8 2.7 240 HP a 6.250 RPM (Hulme na Brabham-500kg e Dan Gurney na Eagle)

Motor BMR H16.jpg

F1 1967 (Estreando do motor Ford Cosworth):

Weslake V12 416/ 415 HP / 413 HP a 10.250 RPM/10.200 RPM/ 10.000 RPM (Eagle pesava 553 Kg)

Ford Cosworth V8 DFV 405 HP a 9.000 RPM (168 kg) (Lotus 49 pesava 500 Kg)

BRM H16 420 HP a 11.500 RPM (Lotus 43 pesava 660 kg)

Honda V12 412 HP a 11.000 RPM (carro pesava 675 kg, depois no final do ano foi para 600 Kg)

Ferrari V 12 390 HP a 10.000 RPM (no final do ano o carro pesava 510 kg)

Maserati 380 HP a 9.800 RPM

BRM V8 365 HP a 9.000 RPM (Lotus 33, McLaren/BRM pesava 510 Kg, estreou no Canadá)

Repco V8 um acima de 350 HP a 9.000 RPM

Repco V8 330 HP a 8.300 RPM

 

F1 1968:

Honda V12 430 HP a 9.700 RPM (peso do motor 210 Kg, peso do carro+- 600 Kg)

Weslake V12 +- 420 HP (peso do motor 187 Kg- Estimado pelo motor de 1967)

Ford Cosworth DFV 415 HP a 9.500 RPM (motor 161 Kg, peso da McLaren 415 kg e Lótus 49/49B tinha 400 Kg)  

Ferrari V12 410 HP a 10.600 RPM (peso do motor 180 Kg, carro pesava 507 Kg)

Repco V8 400 HP a 9.500 RPM (peso do motor 163 Kg, Brabham pesava 540 Kg)

BRM V12 400 HP a 10.000 BRM (peso do motor 195 Kg, carro BRM 520 Kg e carro Cooper 540 Kg)

Matra V12 395 HP a 10.500 RPM (peso 173 kg) (Matra pesava entre 550 e 600 kg, esse motor era montado nos carros dos segundos pilotos da Matra e só fez 2 pontos na temporada)

Honda V8 refrigerado a ar 390 HP a 10.500 RPM (No final do ano. O motor tinha +- 110 Kg. 100kg a menos que o motor do começo do ano, carro não ultrapassava 500 Kg)

 

F1 1969:

Ferrari V12 436 HP a 11.000 RPM

Ford Cosworth DFV V8 430 HP a 10.000 RPM (Matra/Ford 550 Kg e Lotus 49B/63 Rindt)

BRM V12 420 HP a 11.500 RPM

Anos 70:

 

F1 1970:

Matra V12 485 HP a 10.400 RPM (carro pesava 560 Kg)

Ferrari 12 boxer 450 HP a 12.000 RPM (carro pesava 450 Kg sem lastro)

BRM V12 435 HP a 11.000 RPM (carro pesava 530 kg)

Ford Cosworth DFV V8 430 HP a 11.000 RPM (Tyrrell pesava +- 550 Kg)

 

F1 1971:

Turbina de Helicóptero da Pratt & Whitney 500 HP (Lotus 56B-turbina 700 Kg) Criado em 1957, mas tinha problema de falta de freio motor.

Ferrari 12 boxer 470 HP a 12.600 RPM. Esse motor foi abandonado no meio da temporada.

Ford Cosworth DFV V8 (série 11) 450HP a 10.000 RPM (Tyrrell +- 530 Kg, March 580 Kg e Lotus 72)

Matra V12 440 HP a 11.000 RPM

BRM V12 435 HP a 10.500 RPM (carro pesava 530 kg)

 

F1 1972:

Matra 485 HP a 11.800 RPM

Ferrari 12 boxer 470 HP (não consta informação no site oficial)

Ford Cosworth DFV V8 450 HP a 10.000 RPM Lotus 72 D

BRM V12 450 HP a 10.750 RPM

 

F1 1973:

Ferrari 12 boxer 485 HP a 12.500 RPM

Ford Cosworth DFV V8 460 HP a 10.250 RPM Lotus 72E

BRM V12 450 HP a 10.750 RPM

 

F1 1974:

Ferrari 12 boxer 490 HP a 12.500 RPM (Ferrari pesava 578 kg)

Ford Cosworth DFV V8 460 HP a 10.250 RPM (Lotus 72E e 76)

BRM V12 450 HP a 11.000 RPM

 

F1 1975:

Ferrari 12 boxer 495 HP a 12.200 RPM

Matra V12 490 HP a 11.500 RPM

Ford Cosworth DFV V8 485 /465 HP a 10.500 RPM (Lotus 72, 72E e 72 F, McLaren, Williams, Brabham, March, Tyrrell e Copersucar)

BRM V12 470 HP a 12.000 RPM

 

F1 1976:

Alfa Romeo 12 boxer 520 HP a 12.000 RPM

Ferrari 12 boxer 500 HP a 12.200 RPM

Matra V 12 500 HP a 11.600 RPM

Ford Cosworth DFV V8 490 HP/465 HP a 10.750/10.500 RPM (Lotus 77, McLaren, Tyrrell, Penske e Copersucar *)

OBS: 490 HP no meio do ano em diante segundo: Livro Motores 77 pg 21 e 22.

BRM V12 470 HP a 12.000 RPM

(*) Ingo Hoffman falou no Podcast Autoracing de 26/06/2024 que a Copersucar usava o Ford Cosworth versão cliente, menos potente.

 

F1 1977:

Alfa Romeo V12 boxer 520 HP a 12.000 RPM

Ferrari 12 boxer 500 HP a 12.200 RPM (Não consta a informação no site oficial)

Renault EF1 V6 1500 cc turbo 500 HP a 11.000 RPM (1977 a 1979) 1º MOTOR TURBO DA F1

BRM V12 470 HP a 11.000 RPM

Ford Cosworth DFV V8 465 HP a 10.500 RPM (Lotus 78 MK3)

 

F1 1978:

Alfa Romeo V12 boxer 520 HP a 12.000 RPM

Ferrari 12 boxer 510 HP a 12.200 RPM

Renault EF1 V6 1500 cc turbo 500 HP a 11.000 RPM (1977 a 1979) pg 12

Ford Cosworth DFV V8 475 HP a 10.750 RPM (Lotus 78-MK3 e MK4 (Peterson) e MK4 e MK4B (Andretti). O MK4B ficou conhecido com Lotus 79.)

 

F1 1979:

Alfa Romeo V12 boxer 525 HP a 12.000 RPM

Ferrari 12 boxer 515 HP a 12.300 RPM

Renault EF1 V6 1500cc turbo 500 HP a 11.000 RPM (1977 a 1979) pg 12

Ford Cosworth DFV V8 480 HP a 10.800 RPM (Williams pesava 585 kg) (Lotus 79 e 80)

Anos 80:

 

F1 1980:

Ferrari V6 1500 cc turbo 540 HP a 11.000 RPM (corridas) 1º motor turbo da Ferrari

Alfa Romeo V12 boxer 520 HP a 12.000 RPM

Renault V6 1.500 cc turbo 520 HP a 11.500 RPM

Ferrari 12 boxer aspirado 515 HP (corridas)

Ford Cosworth DFV V8 485 HP a 10.800 RPM (Lotus 81 e 81B)

 

F1 1981:

Ferrari 1.500 cc turbo 570 HP a 11.000 RPM (corridas)

Renault V6 1.500 cc turbo 540 HP/530 HP a 11.500 RPM

Matra V12 520 HP a 13.200 RPM Ligier

Alfa Romeo V12 boxer 520 HP a 12.000 RPM

Ford Cosworth DFV V8 490 HP a 11.100 RPM (Brabham pesava 580 kg, Williams pesava 587 kg e MP4/1, Lotus 81B)

Hart 4L turbo 490 HP a 9.500 RPM

 

F1 1982:

Ferrari 1.500cc turbo 580 HP a 11.000 RPM (corridas)

BMW 4L 1.500 cc 570 HP a 10.800 RPM (Brabham de Piquet)

Renault V6 1.500 cc turbo 560 HP a 11.500 RPM

Alfa Romeo V12 boxer +- 525 HP a 12.300 RPM (175 kg)

Matra V12 520 HP a 13.200 RPM Ligier

Ford Cosworth DFV V8 (Judd) a 515 HP a 11.300 RPM

Ford Cosworth DFV V8 495 HP a 11.100 RPM (McLaren MP4/1B e Lotus 87B)

 

F1 1983:

BMW 4L 1.500 cc Turbo 800 HP (3,2 bar treinos, final do ano) a 11.500 RPM (Motor 170 kg, Brabham 540 kg)

BMW 4L 1.500 cc Turbo 740 HP (3 bar corridas, final do ano) a 11.500 RPM (Motor 170 kg, Brabham 540 kg)

Ferrari V6 1.500cc turbo +-800 HP (treinos)

Ferrari V6 1.500cc turbo 650 HP/600 HP a 10.500 RPM (corridas)

Renault V6 turbo 1.500cc 700 HP (potência máxima)/ 640 HP a 12.000 RPM (Lotus 93T/94T)

Porsche V6 turbo 1.500cc 700 HP/600 HP a 11.500 RPM/11.000 RPM 150 kg (M4/1D)

Alfa Romeo V8 turbo 1.500cc 640 HP a 11.800 RPM

Honda V6 1.500 cc turbo 600 HP a 12.000 RPM (RA163E)

Hart 4L 1.500cc turbo 580 HP a 10.500 RPM

Ford Cosworth DFY V8 (Judd) 535 HP a 11.300 RPM (Tyrell pesava 540 kg) (Lotus 92)

Ford Cosworth DFV V8 510 HP a 11.200 RPM

 

F1 1984:

BMW 4L 1.500cc turbo 1050 HP a 11.500 RPM (4,5 bar treinos) (Brabham 580 Kg)

BMW 4L 1.500cc turbo 880 HP a 11.500 RPM (3,8 bar corridas)

Ferrari V6 1.500 cc turbo 950 HP/ 800 HP (3,2 a 2,7 atm treinos) a 11.500 RPM (Motor 121 kg)

Ferrari V6 1.500 cc turbo 730 HP/ 660 HP (2,6 a 2,2 atm corridas) a 11.000 RPM (Ferrari 580 a 545 kg)

 

Renault V6 EF4 1.500 cc 900 HP (Motor de treinos, estimado)

Renault V6 EF4 1.500 cc 760 HP/ 750 HP a 11.500 RPM/11.000 RPM (Lotus 95 T)

Porsche V6 1.500 cc turbo 850 HP a 12.000 RPM (treinos) (MP 4/2 540 kg)

Porsche V6 1.500 cc turbo 750 HP/650 HP a 12.000/ 11.000 RPM (corridas) 145 kg

OBS: A Bosch desenvolveu um sistema com comando eletrônico de alimentação para os motores Porsche (Monotronic), e isso fez a Porsche estar um passo a frente da concorrência em termos de economia. Esse foi um dos segredos da Porsche que podia largar com 204 litros de gasolina (portanto 12 kg mais leve) contra 220 litros dos demais motores turbos, segundo Reginaldo Leme no GP África do Sul 1984.

Honda V6 1.500 cc turbo +- 850 HP (treinos estimado) (Peso 112 kg) Williams 540 kg (RA164E)

Honda V6 1.500 cc turbo 750 HP/ 650 HP (corridas) a 11.000 RPM/11.400 RPM

Hart 4L 1.500cc turbo +- 800 HP (4 atm treinos, final do ano) a 11.00 RPM (motor 140kg, Toleman 560 kg)

Hart 4L 1.500 cc turbo +-700 HP (3,3 atm corridas meio do ano) a 11.000 RPM.

Hart 4L 1.500 cc turbo 650 HP (começo do ano) a 10.500 RPM (140 kg)

Alfa Romeo V8 turbo 1.500 cc 680 HP/ 670 HP a 11.800 RPM

Ford Cosworth DFV V8 510 HP a 11.200 RPM

 

F1 1985:

BMW 4L 1.500 cc turbo 1250 HP/ 1200 HP a 11.500 RPM (5,4 bar treinos).

BMW 4L 1.500 cc turbo 850 HP a 11.500 RPM (3,6 bar corridas).

Honda V6 1.500 cc turbo 1070 HP (treinos após Inglaterra) (RA165E)

Honda V6 1.500 cc turbo 880 HP (corridas Alemanha em diante).

Honda V6 1.500 cc turbo 800 HP (corridas Brasil até Inglaterra) a 11.000 RPM

 

Renault V6 EF15 1000 HP/850 HP (treinos 4,5 atm /corridas 3,6 atm) a 12.500 RPM Lotus 97T Taxa de compressão 7,5:1 e 154 kg (carro do De Angelis e depois de Mônaco no carro de Senna)

Renault V6 EF4B 850 HP/800 HP (treinos/corridas 3,6 atm) a 12.500 RPM (Senna começo de 85) 154 kg

OBS: Motor Renault EF4B (diâmetro e curso 82mm x 48,1mm) tinha mais torque que o EF15. Já o Motor EF15 (diâmetro e curso 80,1mm x 49,4mm) era mais suave na aceleração, mais potente e tinha menor consumo. (Anuário Francisco Santos 1985 pg 42, 79 e 90) Senna foi usar esse motor EF15 em Mônaco, enquanto De Angelis, Warwick e Tambay já estavam usando desde o começo do ano.

 

Ferrari V6 1.500 cc turbo +- 1000 HP (Motor de treinos, estimado)

Ferrari V6 1.500 cc turbo 800 HP /780 HP a 12.000 RPM /11.000 RPM (corridas)

Porsche V6 1.500 cc turbo 960 HP (3,8 atm treinos) (MP 4/2B)

Porsche V6 1.500 cc turbo 850 HP (3,4 atm corridas) a 12.800 RPM 145 kg

Zakspeed 4L 1.500 cc turbo 900 HP (3,8 atm treinos) a 11.500 RPM

Zakspeed 4L 1.500 cc turbo 820 HP (3,5 atm corridas) a 11.500 RPM

Hart 4L 1.500 turbo 800 HP (treinos) / 700 HP (corridas) a 10.500/ 11.000 RPM (120 kg) (RAM 540 kg)

Alfa Romeo V8 1.500 cc turbo 780 HP /700 HP corrida a 11.800 RPM (2,2 atm).

Motori Moderni V6 1500 cc turbo 720 HP a 11.300 RPM (Minardi)

 

F1 1986:

BMW 4L 1.500cc turbo +- 1400 HP  a 11.500 RPM (5,5 bar treinos- Benetton) (170 Kg) Motor mais potente da história da F1

BMW 4L 1.500cc turbo +- 1300 HP a 11.500 RPM (4,9 bar treinos, motor deitado 72º- Brabham) (170 kg)

BMW 4L 1.500cc turbo 900 HP /850 HP a 11.500 RPM (3,6 bar corridas) (170 kg)

OBS: BMW Reduzia a potência em cerca de 500 HP do treino para a corrida. O dinamômetro da BMW chegava até 1280 HP, mas anos mais tarde esses motores BMW foram medidos em dinamômetros modernos, e assim chegou-se a potência de 1400 HP.

TOP SPEED em MONZA: Motor BMW deixa para trás Honda, Ferrari, Porsche e Renault.

TopSpeedMonza86.gif
Motor BMW 1400 HP.jpg

“O carro era como uma bomba em circuitos como Spa, Áustria e Monza. E a potência era inacreditável – mesmo que o atraso do turbo fosse terrível. Você tinha que acelerar na entrada da curva para obter a potência na saída dela. E se você perdesse o ponto por 5 ou 10 metros, não havia nada que pudesse fazer – você rodava. O atraso era de cerca de um ou dois segundos. Em Zeltweg, na longa reta para a Bosch Kurve, o carro vinha cuspindo 1.400 cavalos de potência e não parava de empurrar – era como se você estivesse sentado em um foguete”. (Berger sobre o motor BMW turbo)

Honda V6 1.500cc turbo 1200 HP a 12.000 RPM (treinos) (RA 166E)

Honda V6 1.500cc turbo 1130 HP (5 atm Alemanha em diante) /1051HP (5 atm) (treinos) (RA166)

Honda V6 1.500cc turbo 963 HP (4 atm Alemanha em diante) /906 HP (4atm) /880 HP (corridas) a 11.500 RPM (RA166E)

Honda V6 1.500cc turbo 900 HP/820 HP (Brasil até Inglaterra- corridas) a 11.000 RPM (RA166E)

OBSOs pilotos da Williams tinham um seletor de pressão com 4 posições (1 economia, 2 e 3 pressões menores ou maiores, e 4 que dava uns 50 HP ou 60 HP extras para ultrapassagens). (Anuário FS 1986 pg 29)

Renault V6 EF15C +- 1200 HP a 900 HP a 12.500/13.000 RPM (5,2 atm treinos e entre 3,7 e 4 atm corridas, estreou na França) Lotus 98T Taxa de compressão 7,0:1 e 154 kg COM COMANDO PNEUMÁTICO

Renault V6 EF15B +-900 HP a 850 HP a 12.500/13.000 RPM (4 a 3,7 atm corridas) (Até GP EUA 86) Lotus 98T Taxa de compressão 8,0:1 e 154 kg

Ferrari V6 1.500 cc turbo +- 1200 HP (Motor de treinos- estimado)

Ferrari V6 1.500 cc turbo 890HP/ 850 HP a 11.500 RPM (corridas)

Porsche V6 turbo 1.500 cc +- 1060 HP (estimado) (4 atm nos treinos) (MP 4/2C)

Porsche V6 turbo 1.500 cc 850 HP a 12.000 RPM (3,4 atm em corridas) (150 kg)

Ford Cosworth GBA V6 1.500cc TURBO 1000 HP/850 HP a 11.000 /12.000 RPM (Lola)

Zakspeed 4L turbo 1000 HP (4,5 atm treinos) / 850 HP (3,6 atm corridas) a 11.500 RPM

Motori Moderni V6 1500 cc 780 HP/ 720 HP a 12.000 RPM/11.300 RPM (Minardi)

Alfa Romeo V8 1.500 cc turbo 700 HP a 11.800 RPM.

 

F1 1987 (Motores aspirados passaram a ter 3.500 cc e turbos 1.500cc com 4 atm):

Honda V6 1.500cc turbo 995HP (treinos) /+-900 HP (corridas) (4 atm nos treinos com relação de equivalência 1,23) a 12.000 RPM taxa compressão 7,4:1 Lotus 99T e Williams (RA 167E)

Honda V6 1.500cc turbo 872 HP a 751 HP (em corridas)

Ferrari V6 1.500cc turbo +-980/880 HP (treinos 4 a 4,2 atm) a 11.800 RPM. Taxa de compressão 8,0:1

Ferrari V6 1.500cc turbo +-920/800 HP (corridas 3,6 a 3,8 atm) a 11.800 RPM. Taxa de compressão 8,0:1

Ferrari V6 1.500cc turbo 880 HP a 11.500 RPM (corridas) Carro 540 kg

Ferrari V6 1.500cc turbo 800 HP a 11.800 RPM (corridas começo do ano)

Ford Cosworth GBA V6 1.500cc TURBO +- 980 HP/850 HP a 12.000 RPM (Benetton)

OBS 1: O motor era potente, mas tinha fugas gêmeas de pressão, devido o uso de duas válvulas Pop-off da FISA, além da demora de resposta no acelerador. (Anuário Francisco Santos 1987 pg 30 e 31)

Porsche V6 1.500 cc turbo +-960 HP (4 atm treinos depois da Alemanha) a 13.000 RPM (MP4/3)

Porsche V6 1.500 cc turbo 900 HP (4 atm treinos) a 13.000 RPM 

Porsche V6 1.500 cc turbo 850 HP (3,4 atm corridas) a 12.000 RPM (Anuário FS 87 pg 18)

OBS 2: A Porsche já utilizava a pressão máxima de 4 atm em 86, mas para o regulamento de 1987 com a válvula pop-off da FISA eles começaram a perceber que quanto mais chegassem a 4 atm no turbo, mais perdiam potência, por isso nunca chegaram a usar 100% da potência de 1986. A explicação era que o motor tinha banco de cilindros não interligado e necessitava duas válvulas pop-off de 4 atm, gerando aumento de pressão contrária (back pressure) que ocasionava duas fugas gêmeas no sistema, por isso eles não conseguiam extrair todo o potencial desse motor. (Anuário Francisco Santos 1987 pg 27 e 28)

Megatron (BMW) 4L 1.500cc turbo quase 950 HP/ 900 HP a 11.500 RPM (4 bar treinos e 3,8s bar corridas)

Zakspeed 4L 1.500cc turbo 920 HP a 11.500 RPM (4 atm corridas e treinos)

Motori Moderni V6 1.500 cc 800 HP a 11.500 RPM (Minardi)

Ford Cosworth DFR V8 3.500 cc 650 HP a 11.500 RPM (165 kg) Aspirado AGS, Colloni, March, Tyrrell

Ford Cosworth DFZ V8 3.500 cc 580 HP a 10.200 RPM (165 kg) Aspirado Lola

F1 1988 (Aspirados 3.500cc e os turbos 1.500 cc com 2,5 atm):

Ferrari V6 1.500 cc turbo 720HP****/ 650 HP (treinos a partir da Bélgica/corridas a partir Itália) a 13.000/12.000 RPM

Ferrari V6 1.500cc turbo 700HP***/ 640 HP (treino/corrida) a 12.800/12.000 RPM (França a Hungria)

Ferrari V6 1.500cc turbo 685HP**/ 640 HP (treino/corrida) a 12.700/12.000 RPM (Canadá)

Ferrari V6 1.500cc turbo 660 HP*/ 640 HP (treino/corrida) a 12.500/12.000 RPM (México e EUA)

Ferrari V6 1.500cc turbo 630 HP/ 600 HP (treino/corrida) a 12.200/11.800 RPM (Brasil a Mônaco)

Taxa de compressão 10,0:1 (peso do motor 150 Kg e peso do carro 542 kg)

O motor Ferrari começou o ano atrás da Honda, depois ele igualou e passou a potência do motor japonês.

Up-grades no motor Ferrari ao longo da temporada que a fez passar a potência do motor Honda:

(*) No México, a Ferrari introduziu Tubos Venturis no coletor de admissão e os cabeçotes foram redesenhados, com isso puderam usar 2,5 atm, e não mais os 2,35 atm para não abrir a válvula pop-off. Solução similar que a Honda (duas borboletas) fez no seu motor a partir de San Marino em diante. (Anuário FS 1988 pg 21, 72 e 73). A potência chegou a 660 HP.

(**) No Canadá, a Ferrari revisou a câmara do motor, com válvulas e pistões com diâmetro maior e novos materiais (Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Ferrari_F1/87), com isso eles esperam obter os 20/25 HP a mais (Jean Jacques Hiss da Ferrari em entrevista Jornal O Globo 07/06/1988 pg 24). Talvez a potência tenha chegado próximo a 685 HP.

(***) Na França, a Ferrari estreou nova versão do 033A com pistões e intercooler novos. (Anuário FS 1988 pg 21) A Ferrari ganhou giro no motor e essa nova potência máxima NÃO FOI DIVULGADA nem no site oficial nem em quase nenhum site, mas talvez tenha chegado próximo a 700 HP.

(****) Na Bélgica fizeram novas mudanças no motor e trouxeram novos aerofólios. Essa potência não foi divulgada pela Ferrari, mas talvez tenha chegado próximo a 720 HP, conforme cita o Wikipedia.

Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Ferrari_F1/87 e https://www.statsf1.com/pt/moteur-ferrari.aspx

OBS 1: Da Itália em diante, a Ferrari mudou o mapeamento eletrônico do motor recomendado por John Barnard e conseguiram usar mais potência nas corridas, com isso melhoraram os problemas de consumo excessivo do motor. Também foram introduzidos ajustadores eletrônicos de altura do carro. (Anuário FS 1988 pg 22) Veja a explicação abaixo.

“No início de temporada, diretor técnico John Barnard da Ferrari tinha recomendado aos engenheiros da equipe que reduzissem as rotações em 1000 RPM no motor Tipo 033A e remapear o mecanismo para compensar a perda de potência. Os conselhos de Barnard foram ignorados, no entanto a equipe se esforçou no consumo do combustível.  Antes do GP de Monza as alterações foram feitas nos motores que passou a corresponder a sugestões de Barnard, o resultado é melhor economia de combustível sem perda de potência, embora as Ferraris ainda tivessem mais sede do que o Honda."

“O motor tipo 033A tinha boa potência máxima, mas sofria com baixa resposta de aceleração e pouca potência em baixa, comparado com o motor Honda.” Era nisso que o Honda era melhor que o Ferrari: TORQUE E CONSUMO.

Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Ferrari_F1/87

Alfa Romeo (Stievanni- Osella)V8 1.500cc turbo +- 700 HP (Monza em diante) a 11.800 RPM

Alfa Romeo (Stievanni- Osella)V8 1.500cc turbo 620 HP a 11.000 RPM (Anuário FS 88 pg 11)

Megatron (BMW) 4L 1.500cc turbo +- 680 HP a 11.800 RPM (Monza em diante)

Megatron (BMW) 4L 1.500cc turbo 650 HP a 11.800 RPM (130 kg) Arrows pesava 540 kg

"Guru do motor da equipe Heini Mader (BMW) tinha finalmente resolvido o problema da válvula pop-off (que acabou por ser a válvula pop-off sendo localizado muito acima do motor, um problema que Honda e Ferrari já haviam resolvido), e de repente com um extra 30-50 HP a sua disposição as Arrows A10B."

Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/1988_Italian_Grand_Prix

Honda V6 1.500cc turbo: 675 HP (685 ps) a 12.500 RPM (treinos com relação de equivalência 1,15).

Honda V6 1.500cc turbo: 650 HP a 12.000 RPM (corridas- melhor condição de consumo estimado).

Honda V6 1.500cc turbo: 612 HP (620 ps) a 12.000 RPM (corridas- pior condição de consumo com relação de equivalência de 1,02). Motor 146 kg (Lotus 100T e McLaren MP4/4).

OBS 2: O motor Honda começou o ano com problema de abertura prematura da válvula pop-off (devido a inércia dos gases da turbina). Mas já a partir de San Marino eles colocaram duas borboletas simples antes da válvula pop-off, resolvendo o problema. (Anuário FS 1988 pg 20) Dessa corrida em diante eles deram um salto na potência do motor (a Ferrari teve o mesmo problema e só resolveu do GP México em diante com tubos Venturi).

O motor Honda foi o melhor motor de 1988, mas a partir de meados do ano o motor Ferrari o passou em potência máxima de treinos, mas o motor japonês continuo sendo melhor, pois tinha melhor compromisso entre potência, torque e economia de combustível.

Honda possuía 2 motores: XE2 para mais economia e XE3 para maior potência em alta, e esse último chegava a 13.200 RPM. (Anuário Francisco Santos 1988 pg 20).

Motor Honda 1988.PNG

Apresentação Osamu Goto no Congresso da SAE de 1989 sobre o motor Honda Turbo (685 ps=675 HP=504 KW)

Zakspeed 4L 1.500cc turbo +- 640 HP (2,5 atm corridas) a 11.500 RPM

Ford Cosworth DFR V8 3.500 cc 590 HP a 10.500 RPM (exclusivo da Benetton)

Ford Cosworth Judd V8 3.500 cc 590 HP a 11.500 RPM (Williams, March e Ligier)

Ford Cosworth DFZ V8 3.500 cc 560 HP a 10.250 RPM

 

PANES SECAS DOS MOTORES TURBOS 1983-1988:

Alfa Romeo: 13 (1 em 83, 7 em 84, 2 em 86, 2 em 87, 1 em 88)

Renault: 12 (zero em 83, 5 em 84, 5 em 85, 2 em 86)

BMW/Megatron: 8 (zero em 83, zero em 84, 2 em 85, 2 em 86, 4 em 87, zero em 88)

Porsche: 5 (zero em 83, 84 e 85, 4 em 86, 1 em 87)

Ferrari: 4 (zero em 83, zero em 84, 1 em 85, zero em 86, zero e em 87, 3 em 88)

Honda: 3 (zero em 83, 2 em 84, zero em 85, zero em 86, 1 em 87, zero em 88)

Motori Moderni: 2 (1 em 86 e 1 em 87)

Zakspeed: 2 (2 em 86)

Ford GBA: 1 (1 em 86)

 

F1 1989 (Todos os motores aspirados com 3.500cc):

Honda V10 670 HP/ 640 HP (treinos/corridas) a 12.800 RPM (RA109E) (MP 4/5)

Ferrari V12 650 HP/620 HP (treinos) a 12.500 RPM e 600 HP (corridas) a 12.500 RPM.

Renault (RS1) V10 650 HP a 14.300 RPM (treinos) (141 kg)

Ford Cosworth HB V8 635 HP a 12.000 RPM (esp III, exclusivo para a Benetton)

Judd CV V8 600 HP a 10.800 RPM (129 kg, tinha vantagem de ser mais leve que o Ford Cosworth HB)

Lamborghini V12 600 HP a 11.200 RPM (160 kg)

 

Anos 90:

 

F1 1990:

Ferrari V12 725 HP (Japão em diante *) a 14.500 RPM/ 710 HP a 13.800 RPM (antes do Japão) /680 HP (corridas) a 12.750 RPM

Honda V10 700 HP (Alemanha em diante) /680 HP a 13.000 RPM (corridas) (RA100E) 150 kg (MP 4/5B)

Renault (RS2) V10 660 HP a 12.800 RPM (139 kg) GP (Espanha em diante)

Renault (RS1) V10 650 HP a 14.300 RPM (treinos) (141 kg) (até Portugal)

Ford Cosworth HB V8 650 HP a 13.000 RPM (esp IV, Benetton Silverstone em diante)

Judd EV V8 650 HP a 12.500 RPM (125 kg, tinha vantagem de ser mais leve que o Ford Cosworth HB)

Lamborghini V12 650 HP/640 HP a 13.000 RPM (150 kg)

Ford Cosworth HB V8 635 HP a 12.000 RPM (esp III, Benetton até França)

Subaru V12 620 HP a 12.300 RPM (Coloni)

(*) Ferrari veio com o motor “canhão” no final do ano.

 

F1 1991:

Honda V12 780 HP (Japão*) a 15.500 RPM (RA121E) (MP 4/6) (158 kg)

Honda V12 755 HP (Bélgica*) a 15.500 RPM (RA121E) (MP 4/6) (158 kg)

Honda V12 +-740 HP (Hungria) a 14.800 RPM (RA121E) (MP 4/6) (158 kg)

Honda V12 720 HP (início do ano)  a 14.000 RPM (RA121E) (MP 4/6) (158 kg)

(*) Com gasolina especial da Shell.

Renault (RS3B) V10 750 HP a 14.500 RPM (Treino Monza e corridas Portugal em diante) (137 kg)

Renault (RS3) V10 700 HP a 12.000 RPM (corridas) (137 kg)

Ferrari V12 735 HP /725 HP (corridas) a 14.500 RPM

Honda V10 700 HP/690 HP a 13.500 RPM (corridas) (RA100E motor de 90) 150 kg (Tyrrell e Footwork)

Porsche V12 680 HP a 13.000 RPM (190 kg) (Footwork)

Ilmor V10 680 HP a 13.000 RPM (Leyton House)

Ford Cosworth HB V8 670 HP a 13.000 RPM (esp V Jordan) (130 kg)

Lamborghini V12 655 HP a 13.000 RPM (150 kg)

Ford Cosworth HB V8 650 HP a 13.000 RPM (esp IV)

Yamaha V12 650 HP a 13.500 RPM (140 kg)

 

F1 1992 (A partir da Hungria foi proibido o uso de gasolina especial):

Honda V12 805 HP (*)/764 HP a 14.500 RPM (treino/corridas Canadá até Alemanha) (RA 122E, 150 kg)

Honda V12 776 HP (treino Japão e Austrália) a 15.000 RPM (RA122E especial, 150 kg) (MP 4/7)

Honda V12 770 HP/ 750 HP a 14.500 RPM/ 14.400 RPM (treino/ corrida Hungria a Portugal) (RA122E)

Honda V12 780 HP/720 HP (treinos/corrida até Mônaco) a 14.800/14.000 RPM (RA121E motor de 91)

(*) Com gasolina especial da Shell.

 

OBS: No começo do ano até Mônaco a Renault tinha 20 HP mais potência que o Honda, mas no Canadá a Honda estreou novo motor e passou o motor Renault em 5 HP. Na Hungria a FIA proibiu as gasolinas especiais, então o motor Renault perdeu 50 HP, enquanto o Honda perdeu somente 35 HP e terminou o ano com mais potência que o Renault.

Renault V10 800 HP (*) a 14.500 RPM (treinos antes da Hungria) (RS4 137 kg)

Renault V10 750 HP a 13.500 RPM (treinos da Hungria em diante) (RS4 137 kg)

Renault V10 740 HP a 13.000 RPM (corridas) (RS3C 137 kg)

(*) Com gasolina especial da ELF. 

Ferrari V12 750 HP (Motor de treinos- estimado pelo motor de 93)

Ferrari V12 735 HP a 14.800 RPM (corridas)

Ford Cosworth HB V8 720 HP a 13.500 RPM (esp VII Benetton San Marino em diante) (130 kg)

Lamborghini V12 700 HP a 13.200 RPM (150 kg)

Ford Cosworth HB V8 685 HP a 12.800 RPM (esp VI) (130kg)

Ford Cosworth HB V8 670 HP a 13.000 RPM (esp V) (130 kg)

Yamaha V10 660 HP a 13.500 RPM (Jordan, 140 kg)

 

F1 1993 (limitação de 99 octanas para gasolina):

Renault (RS5) V10 780 HP (treinos) /+-750 HP (corridas) a 14.800 RPM/13.800 RPM (137 kg)

Ferrari V12 +- 775 HP (treinos depois da Alemanha, Anuário FS 94 pg 44)

Ferrari V12 750 HP/ 745 HP a 15.000 RPM (corridas)

Ilmor (Mercedes) V10 730 HP a 14.300 RPM (Sauber)

 

Ford Cosworth HB V8 730 HP a 13.800 RPM (esp VIII Benetton Inglaterra em diante e McLaren Alemanha em diante- 140 kg)

Ford Cosworth HB V8 720 HP a 13.500 RPM (esp VII Benetton até França e McLaren Inglaterra em diante- 130 kg)

Ford Cosworth HB V8 685 HP a 12.800 RPM (esp VI McLaren até GP França, Lotus e Minardi 100%-130kg) -> MOTOR MENOS POTENTE DA F1 EM 1993.

 

OBS 1: Esse motor Ford esp VII com comando pneumático e gestão eletrônica Ford EEC IV foi o primeiro motor V8 HP a passar de 13.000 RPM cuja capacidade passa de 1,5 a 1,7 milhões de informações por segundo e a cabeça do motor era diferente. (Anuário Francisco Santos 92 pg 99) Esse motor foi usado pela Benetton desde San Marino 92.

OBS 2: Sobre a disputa dos motores Ford especificações VI, VII e VIII entre Benetton e McLaren:

Afr, Bra, Eur, San, Esp, Mon. Can, Fra==> McLaren motor de 685 HP e Benetton 720 HP.
Ing==> McLaren motor de 720 HP e Benetton 730 HP (*) no treino e corrida.

Ale e Hun==> Ambas usaram motor de 730 HP nos treinos e 720 HP em corridas.
Bel, Ita, Por, Jap e Aus==> Ambas usaram em treinos e corridas o motor de 730 HP.

OBS 3: A TAG usou dois bicos injetores por cilindro nos motores Ford da McLaren, mas o benefício disso era inconclusivo. (Anuário Francisco Santos 1993 pg 45) Mesmo assim a potência final ficava abaixo do motor Ford de última geração da Benetton.

OBS 4: Benetton e McLaren passaram a receber o mesmo motor a partir do GP Alemanha, não a partir do GP Inglaterra, como algumas fontes relatam, um executivo da Ford Brasil e Senna confirmaram isso. (Ver as 3 reportagens abaixo)

(*) Benetton era parceira da Ford, e escondeu de todo mundo que já estava usando o motor Ford VIII de 730 HP na Inglaterra. Então nessa corrida a McLaren usou o série VII, enquanto a Benetton passou a usar o série VIII.

Motores Ford VII e VIII 1993.jpg
JB 21041993 pg 20.jpg

Reproduzido Jornal O Globo 18/04/1993 pg 55, 06/06/1993 pg 59 e Jornal do Brasil 03/07/1993 pg 36

Motores Ford 93 Site Fandom.jpg

Site Fandon sobre o motor Ford série VIII

Mugen Honda 720 HP a 13.200 RPM (RA121E) Footwork

Lamborghini V12 710 HP a 13.800 RPM (peso 150 kg, esse motor foi testado no McLaren em 93 pelo Senna)

Hart V10 700 HP a 13.000 RPM (Jordan)

Yamaha V 10 690 HP a 13.500 RPM (Tyrell) 130 kg

 

F1 1994:

Ferrari V12 830 HP a 16.000 RPM (Motor Especial de treinos após Itália)

Ferrari V12 820 HP /800 HP (treino Inglaterra até Bélgica/corridas após Inglaterra) a 15.250 RPM

Ferrari V12 775 HP a 15.800 RPM (treinos até França- Anuário FS 94 pg 44)

Ferrari V12 750 HP a 15.300 RPM (corridas até França)

Renault (RS6 e RS6B) V10 800 HP / 790 HP a 14.400/14.300 RPM (134kg/136 kg)

Mercedes V10 765 HP a 14.000 RPM (Sauber)

Ford ZETEC R V8 750/730 HP a 14.500 RPM (Exclusivo da Benetton 135 kg)

Yamaha V10 750 HP a 13.500 RPM (Tyrrell)

Peugeot V10 750 HP a 14.500 RPM (motor A6- 133 kg) (MP 4/9)

Peugeot V10 700 HP14.250 RPM (motor A4- 133 kg)

Mugen Honda V10 740 HP a 13.500 RPM (RA121E) (depois da Bélgica estimado) Lotus

Mugen Honda V10 725 HP a 13.500 RPM (RA121E) (até a Bélgica) Lotus

Hart 730 HP a 13.300 RPM (treinos/corrida)

Ford Cosworth HB V8 730 HP/720 HP a 13.800/13.500 RPM (esp VIII e VII - Larrouse, Footwork e Minardi)

Ilmor V10 696 HP a 12.800 RPM (126 kg) (Pacific)

Ford Cosworth HB V8 670 HP a 12.800 RPM (esp V Sintek-130kg)

 

Resumo dos motores Ford Cosworth V8 (1967-1994):

1967 Ford Cosworth DFV V8 510 HP/405 HP a 11.200/9.000 RPM (168 kg)

1983 Ford Cosworth DFY V8 530 HP/ 500 HP a 11.000 RPM (150 Kg)

1987 Ford Cosworth DFZ V8 580 HP/560 HP a 10.500 RPM (155kg a 165 kg)

1987 Ford Cosworth DFR V8 650 HP/ 590 HP a 10.500 RPM (155 kg)

1989 Ford Cosworth HB V8 630 HP a 11.500 RPM (esp I e II 130 kg)

1989 Ford Cosworth HB V8 635 HP a 12.000 RPM (esp III 130 kg)

1990 Ford Cosworth HB V8 650 HP a 13.000 RPM (esp IV 130 kg)

1991 Ford Cosworth HB V8 670 HP a 13.000 RPM (esp V 130 kg)

1991 Ford Cosworth HB V8 685 HP a 12.800 RPM (esp VI 130 kg)

1992 Ford Cosworth HB V8 720 HP a 13.500 RPM (esp VII 130 kg com válvulas pneumáticas)

1993 Ford Cosworth HB V8 730 HP a 13.800 RPM (esp VIII 130 kg com válvulas pneumáticas e soluções do projeto do Ford V12)

1994 Ford ZETEC R (ECA) V8 750 HP a 14.500 RPM (135 kg)

 

F1 1995 (Todos os motores 3.000 cc aspirados):

Renault (RS7, RS7B, RS7C) V10 +- 750 HP/725HP a 16.000 RPM (132 kg)

Ferrari V12 730 HP /700 HP (corridas)/690 HP (corridas) a 17.000 RPM/16.800 RPM

Peugeot V10 +-700 HP/675 HP (versão 2 e 1) em torno de 16.000 RPM (dito pelo Rubinho) (Jordan)

Mercedes V10 690 HP a 15.200 RPM (MP 4/10)

Mugen Honda V10 675HP a 13.500 RPM (Ligier)

Yamaha V10 acima de 660 HP a 15.000 RPM (130 kg)

Ford ZETEC R (ECA) V8 630 HP/610 HP a 14.000 RPM (135 kg)

Mugen Honda V10 630 HP a 16.000 RPM (Ligier)

Ford ED V8 600 HP/580 HP a 13.800 RPM (132 kg) (Forti Corsi)

F1 1996:

Renault (RS8 e RS8B) V10 750 HP/740 HP a 16.600 RPM (132 kg)

Ferrari V10 750 HP a 16.500 RPM (treinos). Segundo Galvão e Reginaldo estreou motor especial no treino de San Marino.

Ferrari V10 715 HP a 15.500 RPM (corridas).

Mercedes 730 HP/ 720 HP a 15.700 RPM (123 kg) MP4/11

Peugeot V10 720 HP 15.500 RPM (133 kg)

Ford ZETEC R (JD) V10 690 HP/670 HP a 15.800 RPM (120 kg) Sauber

Mugen Honda V10 690 HP a 13.700 RPM (Ligier- Panis venceu com esse motor em Mônaco)

Yamaha V10 a 690 HP a 13.800 (105 kg)

Hart V8 680 HP a 13.100 RPM

Ford ZETEC R (ECA) V8 630 HP/610 HP a 14.000 RPM (135 kg)

Ford ED V8 600 HP/580 HP a 13.800 RPM (132 kg)

 

F1 1997:

Mercedes V10 775 HP/750 HP a 16.000 RPM (Treinos/corridas depois da Espanha) (124 kg)

Mercedes V10 760 HP a 15.800 RPM (124 kg) (Antes da Espanha) (MP4/12)

Renault V10 775 HP a 15.600 RPM (treinos França em diante) (RS9B) (121 kg)

Renault V10 755 HP a 15.000 RPM (corridas França em diante) (RS9A) (121kg)

Renault V10 740 HP a 14.600 RPM (corridas Austrália até o Canadá) (RS9) (121 kg)

Ferrari V10 750 HP a 16.500 RPM e 730 HP a 16.050 RPM. (120/126 kg)

Peugeot V10 750 HP/730 HP a 15.500 RPM

Ford ZETEC R (JD) V10 730 HP/720 HP a 16.500 RPM (120 kg) (Stewart)

Mugen Honda V10 725 HP (Prost)

Yamaha V10 acima de 700 HP a 16.000 RPM (105 kg)

Hart V8 680 HP a 13.100 RPM (Minardi)

Ford ZETEC R (ECA) V8 630 HP/610 HP a 14.000 RPM (135 kg)

Ford ED V8 600 HP/580 HP a 13.800 RPM (132 kg) (Tyrrell)

 

F1 1998:

Ferrari V10 805 HP a 17.300 RPM (121 kg Japão)

Ferrari V10 765 HP (a partir de San Marino)

Ferrari V10 750 HP (treinos) a 16.500 RPM e 730/715 HP (corridas) a 16.050 RPM. (Motor da Sauber)

Mercedes V10 800 HP a 16.100 RPM (107 kg) (MP 4/13)

Mecachrome/Playlife (Renault RS9B) V10 775 HP a 15.600 RPM (121 kg)

Mugen Honda V10 +-770 HP (R4YE) a 16.500 RPM (Jordan)

Peugeot V10 765 HP 15.200 RPM (Prost)

Ford ZETEC R (JD) V10 730 HP/720 HP a 16.500 RPM/ 15.00 RPM (120 kg) (Stewart)

 

F1 1999:

Mercedes V10 810 HP16.200 RPM (107 kg) (MP 4/14)

Ferrari V10 805 HP/780 HP a 16.500RPM/16.300 RPM (corridas)(115 kg)

Mugen Honda V10 800 HP/780 HP (R4YE) a 16.500 RPM (Jordan)

Ferrari V10 790 HP (corridas) a 17.300 RPM (Sauber)

Ford Cosworth CR-1 V10 790/770 HP a 16.500 RPM (exclusivo da Stewart) 100 kg

OBS: Segundo Barrichello esse foi o primeiro motor da história da F1 a pesar menos de 100kg.

Peugeot 785 HP / 780 HP a 15.700 /17.000 RPM

Supertec/Playlife (Renault RS9B) V10 775 HP/770 HP a 17.000 RPM (121 kg) (BAR)

Ford Cosworth ZETEC-R 730 HP a 16.500 RPM (120 kg)

Anos 2000:

F1 2000:

Mercedes 815 HP a 17.800 RPM (98 kg) (MP 4/15)

Ferrari 806 HP/ 805 HP (corridas) a 17.500 RPM/ 17.300 RPM (106 kg)

BMW V10 800 HP a 17.200 RPM (120 kg)

Honda V10 800 HP / 770 HP a 17.000 RPM (RA000E) (110 kg BAR)

Cosworth CR-2 V10 +-800 HP a 17.600 RPM (97 kg)

Peugeot 790 HP/785HP /770 HP a 17.500 RPM/17.900 RPM (109 kg)

Ferrari V10 780 HP a 16.300 RPM (corridas)(114 kg) (Sauber)

SUPERTEC/Playlife (Renault RS9B) V10 775 HP a 15.600 RPM (118 kg Anuário FS pg 35)

Mugen Honda V10 acima de 770 HP a 15.800 RPM (122 kg Anuário pg 35) (Jordan)

Ford ZETEC R (VJ) V10 690 HP/670 HP a 15.800/16.500 RPM (120 kg)

 

F1 2001:

BMW V10 862 HP (treinos)/850 HP/840 HP a 18.000 RPM (98 kg)

Ferrari V10 850 HP (treinos) / 840 HP /825 HP (corridas) a 17.700 RPM/ 17.300 RPM (100 kg)

Cosworth CR-3 V10 840 HP/ 790 HP a 18.500 RPM (97 kg)

Honda V10 840 HP/ 800 HP a 18.500/17.900 RPM (RA001E) (BAR e Jordan)

Mercedes V10 830 HP/ 825 HP a 17.800 RPM (MP 4/16)

Ferrari V10 820 HP a 17.700 RPM (105 kg) (Motor Acer da Prost e da Sauber)

Asiatech (Peugeot) V10 800 HP/ 760 HP (Anuário FS 2001 pg 35) a 17.500 RPM (108 kg) Arrows

Supertec/Playlife (Renault RS21) V10 780 HP a 17.500 RPM (117 kg)

Ford ZETEC R (JD) V10 770HP /750 HP a 16.500 RPM (135 kg)

Renault V10 +-750 HP (estimado segundo Anuário FS 2001 pg 34)

Ford ZETEC R (VJM) V10 690 HP/670 HP a 15.800/16.500 RPM (120 kg)

 

F1 2002:

BMW V10 880 HP (treinos Monza em diante) / 865 HP a 19.050 RPM/18.700 RPM  99 kg

Ferrari V10 880 HP (treinos) / 835 HP a 17.800 RPM (corridas)100kg

Honda V10 865 HP (Alemanha em diante)/835 HP a 18.200 RPM (RA002E) 110 kg

Mercedes V10 860 HP a 18.500 RPM 105 kg (MP 4/17)

Cosworth CR-3 V10 840 HP a 18.500 RPM (97 kg)

Toyota V10 835 HP/830 HP a 18.200 RPM/17.600 RPM

Renault (RS22) V10 810 HP (segundo Philippe Girard Diretor da Renault Anuário FS 2005 pg 38)

Renault (RS22) V10 acima de 800 HP a 17.500 RPM 105 kg

Asiatech (Peugeot) V10 800 HP a 17.500 RPM (108 kg). Estimado pelo ano anterior.

Cosworth CR-4 (RS1) V10 +- 780 HP a 18.000 RPM (estimado) 105 kg

 

F1 2003 (Regulamento passou a exigir o mesmo motor para treino e corrida):

BMW V10 +- 920 HP / acima de 900 HP a 19.200 RPM (peso 91 kg)

Ferrari V10 920 HP (final do ano) / +-900 HP a 19.500 RPM/ 19.000 RPM (treinos) (95kg)

Ferrari V10 845 HP a 18.300 RPM (corridas) (95 kg) Carro pesava 600 kg

Honda V10 mais de 900 HP (Canadá em diante) / 850 HP 19.000 RPM (RA003E)

Ferrari 880 HP a 19.000 RPM (Sauber)

Mercedes V10 +-870 HP /850 HP a 18.500 RPM (MP 4/17D)

Toyota V 10 845 HP a 18.400 RPM

Renault (RS23) V10 830 HP a 17.800 RPM (90 kg)

Cosworth CR-5 (RS2) V10 800 HP a 18.300 RPM (94 kg)

Cosworth CR-3 V10 800 HP a 18.000 RPM (97 kg) (estimado pela redução do giro do de 2002)

 

F1 2004 (Um motor passou a ser usado num fim de semana, se trocar perde 10 posições no grid):

Honda V10 acima 930 HP /900 HP a 19.000 RPM (RA004E)

Ferrari V10 acima de 900 HP a 18.800 RPM/ 865 HP (corridas) a 18.300 RPM

BMW V10 900 HP a 19.000 RPM (89 kg)

Toyota V10 900 HP a 19.000 RPM (93 kg)

Mercedes V10 870 HP a 18.500 RPM (94 kg) (MP4/19)

Renault (RS24) V10 870 HP a 18.800 RPM

Cosworth CR-6 V10 840 HP a 18.300 RPM (estimado) 94 kg

 

F1 2005 (Um motor passou a ser usado em duas corridas, se trocar perde 10 posições no grid):

BMW V10 950 HP/925 HP a 19.000 RPM (92 kg) -> MOTOR ASPIRADO MAIS POTENTE DA HISTÓRIA DA F1

Ferrari V10 940 HP (final do ano) / 900 HP a 19.000 RPM (treinos)

Ferrari V10 865 HP a 18.300 RPM (corridas)

Mercedes V10 930 HP a 19.000 RPM (Depois da França) MP 4/20

Mercedes V10 915 HP (até o GP EUA, pelo informado no Anuário FS 2005 pg 121)

Honda V10 930 HP /acima de 900HP a +- 18.500 RPM (RA005E)

Renault (RS25E) V10 900 HP a 19.500 RPM (105 kg) China

Renault (RS25D) V10 850 HP a 18.500 RPM (105 kg) Brasil a Japão

Renault (RS25C) V10 +- 820 HP a 18.500 RPM (105 kg) Europa a Bélgica

Renault (RS25 e RS25B) V10 acima de 800 HP a 18.000 RPM (105 kg) Começo do ano

Toyota V10 900 HP a 19.000 RPM (91kg)

Cosworth V10 (TJ2005) 900 HP a 18.000 RPM

 

F1 2006 (Motores passaram a ser V8 com 2.400 cc e os 3.000 cc V10 foram limitados em 16.500 RPM):

Ferrari V8 +- 780 HP a 19.000 RPM Motor especial para o Schumacher usado apenas no Brasil (estimado).

Ferrari V8 760 HP (treinos, estimado)

Ferrari V8 735 HP a 18.000 RPM (corridas) (95 kg)

Renault (RS26E) V8 780 HP a 20.000 RPM (95 kg) Motor especial para Fisichella, usado apenas no Brasil.

Renault (RS26D) V8 770 HP a 19.800 RPM (95 kg) Motor especial para o Alonso, usado apenas no Brasil.

Renault (RS26C) V8 760 HP a 19.500 RPM (95 kg) China em diante (Anuário FS 2006 pg 173).

Renault (RS26B) V8 750 HP a 19.300 RPM (95 kg) Malásia em diante para Fisichella (Anuário FS 2006 pg 59)

Renault (RS26) V8 740 HP a 19.000 RPM (95 kg) Começo do ano.

BMW V8 760 HP a 19.500 RPM (95 kg) (Sauber)

Toyota V8 760 HP / 750 HP a 19.000 RPM

Mercedes V8 750 HP a 19.000 RPM (McLaren MP 4/21)

Cosworth V8 740 HP a 16.700 RPM (Williams) 100 kg

Honda V8 718 HP /acima 700 HP a 19.500 RPM/ a acima 18.500 RPM (RA806E)

 

F1 2007:

BMW V8 +- 760 HP a 19.000 RPM (estimado pelo motor de 2006) (95 kg)

Ferrari V8 +-755HP (estimado)

Ferrari V8 730 HP (corridas) a 19.000 RPM (95 kg)

Mercedes V8 +-750 HP a 19.000 RPM (95 kg) (estimado pelo motor de 2006)

Renault V8 750 HP /740 HP a 19.000 RPM (95 kg)

Toyota V8 750 HP a 19.000 RPM

Honda V8 724 HP / acima de 700 HP acima de 18.500 RPM (RA807E)

 

F1 2008 (Giro dos motores limitados em 18.000 RPM, uso da centralina única ECU e banimento do CT, CL e início do congelamento dos motores):

Mercedes 755 HP (estimado pelo motor de 2007)

BMW V8 755 HP (estimado pelo motor de 2007)

Ferrari V8 750HP (estimado pelo motor de 2007)/740 HP (corridas)

Honda V8 747 HP a 19.000 RPM 95 kg

Renault V8 740 HP (estimado pelo motor de 2007)

Toyota V8 740 HP

 

F1 2009 sem contar o KERS (que dá aproximadamente 60 KW ou 80 CV a mais no motor. Motores limitados em 8 por temporada podendo ser usados em qualquer ordem e retorno dos pneus slicks):

Mercedes V8 755 HP a 18.000 RPM 95 kg

BMW V8 755 HP a 18.000 RPM 95 kg

Ferrari V8 +- 750 HP a 18.000 RPM 95 kg (estimado)

Renault V8 +- 750 HP / 740 HP a 18.000 RPM 95 kg

Toyota V8 +- 740/737 HP a 18.000 RPM

Anos 2010:

F1 2010 a 2013 sem contar o KERS (+-80 HP). Só pode usar 8 motores por ano e de qualquer forma. Se usar o 9º motor perde 10 posições no grid. Em 2011 o peso mínimo do carro foi para 640 kg:

Mercedes V8 +- 755 HP (95 kg)

Ferrari V8 750 HP (95 kg)

Renault V8 750 HP /740 HP (95 kg)

Cosworth V8 +- 730 HP (100 Kg)

F1 2014 (Motor Híbrido 1.600cc V6 turbo com limitação de 15.000 RPM e 100kg de gasolina):

Mercedes 840 HP (680 HP + 160 HP, estimado com ERS) estima-se que pese 18 kg a menos e ocupa menos espaço que a unidade de potência da Ferrari e da Renault, pelo fato de ter intercooler menor.

Ferrari 780 HP (Depois da China, estimado pelo motor de 2015)

Ferrari 760 HP (600 HP + 160 HP ERS)

Renault 760 HP (600 HP + 160 HP ERS) Canadá em diante 145 kg

Renault 740 HP (580 HP + 160 HP ERS) (antes do Canadá)

OBS:

MGU-K (Motor Generator Unit Kinetics) utiliza o calor do sistema de frenagem para alimentar uma bateria que ajuda a potência do motor no virabrequim. Essa potência é limitada em 160 HP por força do regulamento.

MGU-H (Motor Generator Unit Heat) utiliza o calor gerado pelo turbo para alimentar uma bateria que ajuda a rotação do eixo do turbo, evitando o "Turbo Lag", mas não existe limite de potência.

Motor Mercedes turbo 2014.jpg

Motor Mercedes Turbo 2014 com MGU-K e MGU-H.

Mercedes 18 kg mais leve e 60 hp mais forte

De acordo com rumores recentes, o Mercedes W05 não só tem uma unidade de potência cerca de 50 / 60 hp mais forte, mas também a vantagem de ser 18 kg mais leve que a concorrência (o que se traduz em melhor distribuição do lastro no carro). O segredo é a disposição perfeitamente encaixada na unidade de potência com o chassi e o sistema de refrigeração. O resultado é um carro mais eficiente aerodinamicamente e com mais potência disponível.

A diferença mostrada até agora pela Mercedes provavelmente se manterá a mesma para as próximas corridas. Ferrari, Renault e Honda não podem falhar no projeto do próximo ano, pois 2015 será a sua última chance (devido às regras de congelamento) para preencher pelo menos uma parte do défice de potência, já que Aldo Costa revelou que a sua unidade de potência para 2015 ganhará mais incríveis 70 hp.

Fonte: http://www.autoracing.com.br/mercedes-fez-duas-corridas-em-cingapura/

 

F1 2015:

Mercedes

915 HP (Fase IV Monza em diante)

900 HP (Fase II e III)

890 HP (começo do ano)

Ferrari

910 HP (Monza em diante, estimado)

890 HP (Espanha em diante)

860 HP (começo do ano)

Renault

850 HP (Itália em diante)

825 HP (começo do ano)

Honda

840 HP (Esp IV, Rússia, estimado)

825 HP (Esp III, Mônaco, segundo Burti)

800 HP (Esp II)

775 HP (Esp I Austrália em modo de Segurança)

OBS: Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

F1 2016:

Mercedes

970 HP (depois da Bélgica estimado)

950 HP (começo do ano)

Ferrari

950 HP (depois da Itália estimado)

940 HP (depois do Canadá estimado)

930 HP (começo do ano)

Renault

920 HP (depois da Espanha estimado)

900 HP (começo do ano)

Honda

920 HP (depois da Malásia estimado)

850 HP (começo do ano)

OBS: Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

F1 2017:

Mercedes

1010 HP (versão IV da Bélgica em diante) (*)

1000 HP (Espanha)

990 HP (estimado pela imprensa)

Ferrari

1000 HP (final do ano) (*)

990 HP (começo do ano)

Renault

970 HP (final do ano) (*)

950 HP (motor 5kg mais leve)

Honda

955 HP (Esp III Monza em diante) (*)

940 HP (Esp II Áustria em diante)

900 HP (Esp I começo do ano)

(*) Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

F1 – Motor Ferrari deve superar 1000 hp em 2017

terça-feira, 3 de janeiro de 2017 às 9:32

A Ferrari vai quebrar a barreira dos 1000 hp com seu motor de 2017, de acordo com um relato do Gazzetta dello Sport.

O jornal esportivo italiano também especulou que a nova máquina da equipe, de codinome 668 e que será lançada em 24 de fevereiro, terá um bico estreito e uma nova caixa de câmbio.

Quanto à potência, o correspondente escreveu: “Entre outras coisas, o aumento do fluxo de combustível significará que o motor pode alcançar e exceder 1000 hp, o que quase foi conseguido na última temporada com picos de 970-980 hp”.

Fonte: http://www.autoracing.com.br/f1-motor-ferrari-deve-superar-1000-hp-em-2017/

F1 2018:

Ferrari

1030 HP (versão 3 Spa em diante) (*)

1020 HP (versão 2 Canadá em diante)

1000 HP (começo do ano)

Mercedes

1020 HP (EVO 3 Spa em diante) (*)

1015 HP (EVO 2 França em diante)

1010 HP (começo do ano)

Renault

1010 HP (Spec 3 Monza alguns carros) (*)

1000 HP (Spec 2 Áustria em diante)

990 HP (a partir do Canadá)

980 HP (a partir da China)

970 HP (começo do ano)

Honda

1000 HP (Esp III Japão em diante) (*)

990 HP (Esp II Canadá em diante) (*)

970 HP (começo do ano)

(*) Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

F1 2019 (capacidade do tanque foi para 110 kg):

Ferrari

1085 HP (Spa para Sauber e Haas, e Monza para Ferrari) (estimado) (**)

1065 HP (Espanha em diante na Ferrari)

1050 HP (começo do ano)

(**) Havia desconfianças que o motor Ferrari estava irregular nessa temporada. No final do ano a FIA descobriu que o motor Ferrari burlava o sensor de medição do fluxo de gasolina.

Mercedes

1070 HP (Spa em diante) (estimado)

1055 HP (phase II Canadá)

1040 HP (começo do ano)

Honda

1050 HP (Spec 4 Spa em diante Albon e Kvyat e em Monza com Verstappen e Gasly, estimado)

1030 HP (Spec 3 França, com exceção Albon) (estimado)

1020 HP (Spec 2 Azerbaijão em diante)

1010 HP (começo do ano)

Renault

1040 HP (D-Spec final do ano)

1025HP (C-Spec) (Espanha em diante) (estimado)

1020 HP (B-Spec)

1010 HP (*) (começo do ano)

OBS: Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

(*) No começo do ano a Renault teve problemas de quebras, então eles usavam potência bem abaixo de 1010HP.

F1 – Ferrari tem o melhor motor, mas não são 55 hp

sexta-feira, 20 de setembro de 2019 às 12:46

A Ferrari possui a UP mais potente da F1 há mais de um ano, e continua confundindo todo mundo como Maranello está conseguindo fazer isso. Enquanto as outras UPs finalmente parecem convergir – acredita-se que Renault e Honda, com suas especificações mais recentes, estejam em média a 15 hp da Mercedes – a Ferrari continua a ter uma vantagem decisiva sobre todos. A análise de GPS é fornecida às equipes em cada corrida pela FIA, além de um aparelho – que algumas equipes usam – chamado audímetro que mede a potência do som, certificam isso na prática. O GPS mostra também que o torque/aceleração da UP Ferrari é a melhor de todas. Os carros vermelhos aceleram mais rápido e portanto chegam antes na velocidade final. E essa é uma grande vantagem. A partir dessas informações, pode-se calcular – com um grau de precisão decente – o que todos têm. A vantagem da Ferrari no Q3 sobre a Mercedes tende a ser de cerca de 20 hp e metade disso na corrida.

Fonte: https://www.autoracing.com.br/f1-ferrari-tem-o-melhor-motor-mas-nao-sao-55-hp/

Anos 2020:

F1 2020:

Mercedes 1080 HP (estimado começo do ano) com "Modo Festa".

Honda 1050 HP (estimado começo do ano) com "Modo Festa".

Renault 1050 HP (estimado começo do ano) com "Modo Festa".

Ferrari 1010 HP (estimado começo do ano) com "Modo Festa". (*)

OBS 1: Modo festa (Party Mode) é um regime crítico de utilização do motor utilizado em apenas uma volta nos treinos, apenas para os pilotos fazerem "flying laps".

OBS 2: Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

(*) Ferrari foi forçada a reduzir a potência devido a FIA ter descoberto um “truque eletrônico" usado em 2019 que conseguia “burlar” o sensor da FIA que monitora o fluxo regulamentar de gasolina a cada 20s (Rafael Machado SPORTV). Marcelo Courrege da Rede Globo disse que a Ferrari perdeu 70 HP em 2020 em relação ao motor de 2019.

(*) Mika Salo, comissário da FIA, confirmou em entrevista que a punição da Ferrari em 2020, fora a redução do curso do acelerador. “Eu não sei se é um novo motor, mas eles estão autorizados a usá-lo em potência máxima. Ter o acelerador limitado foi a punição por sua trapaça do ano passado.” (Vídeo do Canal Ressaca F1 de fevereiro de 2021)

 

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=JK2nwTILYrs

 

Após a FIA ter proibido do “modo festa” dos motores de GP Monza 2020 em diante:

Mercedes 1030 HP (estimado final do ano)

Renault 1010 HP (estimado final do ano)

Honda 1000 HP (estimado final do ano)

Ferrari 980 HP (estimado final do ano)

F1 2021:

Mercedes

1050 HP (motor novo do Hamilton utilizado em apenas 3 corridas no final do ano)

1040 HP (Inglaterra em diante, com novo mapeamento do motor)

1030 HP (começo do ano)

Honda

1035 HP (motor com mapeamento agressivo usado nas duas últimas corridas do ano)

1030 HP (esp II França em diante)

1020 HP (começo do ano)

​Ferrari

1035 HP (depois da Rússia, com a colocação da nova bateria de 800 Volts)

1025 HP (pela declaração de Mattia Binotto em Monza)

Renault

1020 HP (meio do ano em diante)

1010 HP (começo do ano)

OBS: Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

F1 2022:

Ferrari

1060 HP (pela declaração de Mattia Binotto no começo do ano, veja abaixo) (*)

(*) Essa potência era usada em treinos, mas nas corridas a Ferrari tinha que abaixar muito a potência da sua UP para não quebrar, por isso eles foram muito bem nos treinos e razoável nas corridas. Mattia Binotto confirmou isso em entrevista.

Red Bull Power Train (antigo motor Honda)

1050 HP 

Mercedes

1050 HP (esp II, Espanha em diante liberando mais potência sem mexer no motor)

1035 HP (esp I) (**)​

(**) No começo do ano, a Mercedes perdeu cerca de 10 a 20 HP em relação a 2021, devido o novo combustível E10.

Renault

1035 HP

​OBS 1: Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

OBS 2: Todos os motores a combustão foram congelados quanto a evoluções em 1/3/2022 e a parte elétrica em 1/9/2022.

Ferrari acha que tirou desvantagem de 25hp para Mercedes e Honda

quarta-feira, 16 de março de 2022 às 9:19

 

A Ferrari acredita ter reduzido uma desvantagem de potência de 25hp em relação às rivais Mercedes e Honda neste inverno. “No final da temporada passada, nós tínhamos uma desvantagem de 20-25hp, portanto a primeira meta era cancelar essa margem” (Mattia Binotto).

Fonte: https://www.autoracing.com.br/ferrari-acha-que-tirou-desvantagem-de-25hp-para-mercedes-e-honda/

F1 2023 e 2024:

Ferrari

1060 HP 

​Mercedes e Red Bull Power Train (antigo Honda)

1050 HP 

Renault

1035 HP

OBS: Essas potências são estimadas, pois por motivos óbvios, nenhum fabricante informa a potência máxima da sua unidade de potência.

PRINCIPAIS FONTES DE CONSULTA

Seguem alguns sites com informações sobre potência dos motores, lembrando que existem erros nesses sites. Eu exclui as informações que não eram compatíveis e mantive as informações mais realistas, juntando com as informações que consegui nos Anuários e Livros de F1 e declaração dos engenheiros da época.

 

http://www.gurneyflap.com/focus.html

 

http://www.dlg.speedfreaks.org/archive/cars/cars.php

 

http://www.statsf1.com/en/moteurs.aspx (razoável, mas é uma fonte completa)

 

http://www.ultimatecarpage.com/f1/&fyear=2011 (razoável, mas é uma fonte completa)

 

http://www.italian.sakura.ne.jp/bad_toys/cosworth/index3.html (Motores Cosworth F1 e Indy)

http://www.grandprixengines.co.uk/ (Motores Ford, Renault, Honda (anos 80 e 90) e Mercedes (anos 2010))

https://www.ferrari.com/en-EN/formula1/history (Site OFICIAL DA FERRARI com potência de corridas)

Informações do wikipedia (quando procedentes).

Informações de potência dos motores que constam nos Anuários de Francisco Santos de 1972 a 2006.

bottom of page